Dias mais quentes? Cinco dicas para manter a casa fresca no verão

Dias mais quentes? Cinco dicas para manter a casa fresca no verão

Com o verão à porta, os dias mais quentes já se fazem sentir e muitos procuram alternativas para manter a casa fresca sem, com isso, aumentar a fatura da energia.

“Todos gostaríamos de ter uma fórmula mágica para arrefecermos as nossas casas instantaneamente e usufruirmos de espaços mais frescos, mas na realidade temos um verdadeiro aliado, essencial para criarmos um ambiente doméstico adequado: o ar condicionado”, diz a Hisense, em comunicado enviado ao Notícias ao Minuto.

A empresa adianta ainda cinco dicas que podem ajudar a manter a sua casa mais fresca mesmo nos dias quentes. Tome nota:

  1. Acerte a temperatura da sua casa – “A recomendação geral é manter a temperatura do ar condicionado em casa, no verão, entre os 23ºC e os 26°C. O funcionamento do ar condicionado a baixas temperaturas não só afeta o bem-estar geral, como também tem um impacto direto no desgaste do equipamento e, claro, na fatura mensal da eletricidade”;
  2. Use o fluxo do ar nos espaços interiores – “O fluxo de ar na casa, assegura um conforto ótimo nas divisões. Regule também os equipamentos para a oscilação automática, idealmente horizontal e vertical, e para fluxo de ar de longa distância de forma a otimizar a distribuição de ar em todos os pontos dos espaços a serem climatizados”;
  3. Impeça a entrada de ar quente do exterior – “Para evitar que o calor entre nas nossas casas durante as horas mais quentes, ou evitar fontes de calor em casa, baixe os estores, feche as janelas e evite usar o forno. Estes três simples gestos são especialmente importantes durante o dia, quando as temperaturas estão no seu ponto mais alto. Recomenda-se abrir janelas e ventilar os quartos de manhã cedo ou de madrugada quando as temperaturas descem”;
  4. Mantenha o ar fresco e limpo de bactérias “Uma vez que mantém a casa fechada durante o dia, é importante assegurar que o ar interior é fresco, limpo e saudável. Hoje temos ao dispor uma panóplia de soluções de ar condicionado que também são concebidos para purificar o ar”;
  5. Mantenha a temperatura estável sem ligar e desligar o ar condicionado “Ao contrário do que se pensa, para poupar energia é recomendado manter o ar condicionado a funcionar, em vez de o desligar e ligar frequentemente. Naturalmente, ao ausentar-se longos períodos do dia, deve desligá-lo. Durante a noite deve e pode manter o ar condicionado ligado, elegendo o modo de “sono” que melhor se adapta a si, para que possa dormir bem, sem sentir frio, nem calor”.
Ver notícia original
15 anos IMEG GROUP | A festa

15 anos IMEG GROUP | A festa

Dia 1 de junho assinalamos o nosso 15º aniversário. 15 anos de esforços, dedicação e essencialmente de conquistas.

15 anos de agradecimento profundo a quem nos ajudou e continua a ajudar a traçarmos este caminho, de que muito nos orgulhamos.

Deixamos-vos algumas fotos das comemorações, que tiveram lugar no Porto, dia 4 de junho.

 

 

Cozinha. Afinal, quais são os eletrodomésticos que mais consomem energia?

Cozinha. Afinal, quais são os eletrodomésticos que mais consomem energia?

Saber quais são os eletrodomésticos que consomem mais energia pode ser uma forma de fazer uma gestão mais eficiente dos mesmos e, deste modo, poupar algum dinheiro.

Quer reduzir a fatura da eletricidade, mas não sabe por onde começar? Chegou ao artigo certo. Saber quais são os eletrodomésticos que consomem mais energia pode ser uma forma de fazer uma gestão mais eficiente dos mesmos e, deste modo, poupar algum dinheiro.

“Caso esteja mesmo empenhado em reduzir o valor das suas despesas domésticas, convém pensar numa estratégia a longo prazo, e isso passa não só por adquirir eletrodomésticos energeticamente mais eficientes como também por perceber quais são aqueles que consomem mais energia  e que, consequentemente, têm um custo de utilização mais elevado”, diz a empresa de comparação de tarifas Selectra.

Nesta senda e no sentido de ajudar o consumidor a fazer escolhas mais eficientes, a Selectra fez uma estimativa de qual o preço por hora de utilização dos eletrodomésticos de cozinha que utiliza para refrigerar e aquecer comida, tendo em conta a sua potência elétrica comum:

Notícias ao Minuto

Estimativa do preço em cêntimos por hora de utilização dos eletrodomésticos© Selectra

 

“Segundo os dados da tabela, de todos os aparelhos que servem para confecionar comida, o microondas é consideravelmente o mais económico de todos, independentemente da tarifa energética que tenha contratada. Porém, se tiver de optar por utilizar o forno ou a placa elétrica, o conselho que a Selectra deixa é o de optar pelas horas de vazio (22h-8h) no caso de ter uma tarifa bi-horária, e preparar logo várias refeições, de modo a rentabilizar ao máximo a energia utilizada por estes eletrodomésticos”, adianta ainda a Selectra.

 

Ver notícia original
Trocar a iluminação: Cinco vantagens das lâmpadas LED

Trocar a iluminação: Cinco vantagens das lâmpadas LED

Se está a pensar trocar as lâmpadas de casa, mas não sabe quais escolher, este artigo é para si. As lâmpadas LED são a tecnologia “mais eficiente de iluminação”, permitindo poupar na fatura ao final do mês.

“O termo LED significa Light Emitting Diode ou Díodo Emissor de Luz. Um nome comprido, que procura resumir o funcionamento desta lâmpada que é até bastante simples. Ao contrário das lâmpadas comuns, as lâmpadas LED não possuem filamento, o que faz com que durem mais por não produzirem tanto calor. Em vez disso, quando a corrente elétrica chega à lâmpada, passa por uma fita LED, que espalha a energia que recebe em forma de luz visível”, explica a plataforma de comparação de produtos de crédito.

Quais são as vantagens? “Menos custos e mais durabilidade”, refere o ComparaJá, destacando os seguintes cinco aspetos:

  1. As lâmpadas LED consomem menos 80% do que as tradicionais – “A principal vantagem das lâmpadas LED é a redução do consumo energético. O que muitas vezes não é tão evidente é a diferença face às soluções de iluminação tradicional: as lâmpadas LED podem representar uma poupança de energia até 80% face às lâmpadas tradicionais”;
  2. As lâmpadas LED podem durar 25 anos – “As lâmpadas LED têm uma vida útil até 50.000 horas, ou 25 anos, se funcionarem cerca de 5 horas por dia e mantém a intensidade e mesmo que as ligue e desligue muitas vezes. A nível comparativo, as lâmpadas incandescentes têm uma vida útil de 1.000 horas, as de halogéneo entre 2.000 e 4.000 horas, as lâmpadas fluorescentes e as economizadoras entre 5.000 e 8.000 horas”;
  3. As lâmpadas LED não emitem calor – “Já sentiu necessidade de desligar as luzes em dias quentes para arrefecer a casa? Já se queimou ao trocar uma lâmpada quente? Nenhum destes problemas se coloca com as lâmpadas LED, que não emitem calor”;
  4. A tecnologia LED permite escolher a cor e intensidade da luz – “Outras das principais vantagens das lâmpadas LED é a sua versatilidade em termos de cor e intensidade da luz. A maioria das utilizações em casa requer entre 700 e 800 lumens, tais como estudar, trabalhar ou cozinhar. No entanto, para obter uma luz intensa, pode necessitar de mais de 1.000 lumens. Já para uma iluminação mais leve, cerca de 300 lumens será suficiente”;
  5. As lâmpadas LED são boas para o ambiente – “Um produto mais eficiente do ponto de vista energético será sempre melhor para o ambiente. Mas o que muitas vezes passa despercebido ao escolher lâmpadas tradicionais é a emissão de luz ultravioleta e infravermelha, algo que não acontece com as lâmpadas LED. Deste modo, evitam-se riscos tanto para a saúde humana como para o ambiente”.

 

Ver notícia original
Como deseja contatar-nos?
Email